ESCAPULÁRIO DO CARMO - ESCAPULÁRIO MARROM

EXPLICAÇÃO: HISTÓRIA DO ESCAPULÁRIO DE NOSSA SENHORA DO CARMO

https://www.youtube.com/watch?v=xovj3wVaXcA

COMO SURGIU?
Ligado ao Carmelo, origem nos tempos do profeta Elias
Homem de uma fé pura e adoração a Deus acima de qualquer coisa ou qualquer idolo
Depois de enfrentar os 450 profetas de Baal, Elias foi aquele que prenunciou Nossa Senhora, após anos de escassez de chuvas, pediu a Deus e eis que vendo uma nuvenzinha que trouxe a chuva, percebeu ali um simbolismo para a Mãe do Salvador, Nossa Senhora, assim como no Novo Testamento, faria chover sobre  ahumanidade o Redentor, Elias o seu primeiro devoto
A partir de sua espiritualidade surgiu a Ordem do Carmo, que depois de séculos cresceu e chegou a Europa
Durante a Idade Média, muitos tentaram viver a espiritualidade de Elias o carmelo cresceu
Sua mãe consagrou-o à Santíssima Virgem desde antes de nascer. Em reconhecimento a Ela pelo feliz parto, e para pedir sua especial proteção para o filhinho, a jovem mãe, antes de o amamentar, oferecia-o à Virgem, rezando de joelhos uma Ave-Maria. Bela atitude de uma senhora altamente nobre!
O menino aprendeu a ler com pouquíssima idade. A exemplo de seus pais, começou a rezar o Pequeno Ofício da Santíssima Virgem, e logo também o Saltério, consagrou sua virgindade à Santíssima Virgem.

Mas no tempo de São simão Stock os carmelitas viviam um período de muita crise
Simão Stock rezando , implorando auxílio a Nossa Senhora pelas dificuldades que passava a Ordem do Carmo, apareceu Nossa Senhora rodeada de anjos, trazendo o escapulário entre as mãos
16 de julho de 1251, Nossa Senhora apareceu a São Simão Stock e lhe entregou o escapulário, sinal de sua ordem e apresentou as promessas
O primeiro desses  privilégios Maria Santíssima frisou-o bem quando, no ato da  entrega do escapulário, disse ao seu servo São Simão Stock: “É este o sinal do privilégio, que alcancei para ti e para todos os filhos do Carmelo. Todos aqueles  que estiverem revestidos  com este hábito, ver-se-ão salvos do fogo do inferno”.
Nossa Senhora apareceu ao papa João XXII e concedeu mais uma promessa:

“O povo cristão pode crer no auxílio que experimentarão as almas dos Irmãos e membros da Irmandade de Nossa Senhora do Carmo, auxílio este segundo o qual todos aqueles que morrerem na graça do Senhor, tendo em vida usado o Escapulário, conservado a castidade própria do estado, recitado o Ofício Parvo de Nossa Senhora, ou se não souberem ler, tiverem observado fielmente o jejum eclesiástico, bem como a abstinência nas quartas-feiras e sábados (exceto se a festa de Natal cair num destes dias), serão socorridos por uma proteção extraordinária da Santíssima virgem, no primeiro sábado que se lhe seguir ao trânsito, por ser sábado o dia da semana consagrado a Nossa Senhora" (Bula sabatina de João XXII, 3, III 1322).

Muitos outros papas confirmaram estas promessas

Pio XII “Quantas almas, em circunstâncias humanamente desesperadas, devem sua suprema conversão e sua salvação eterna ao Escapulário do qual estavam revestidos! Quantas também, nos perigos do corpo e da alma, sentiram, graças a ele, a proteção maternal de Maria!”.
São Cláudio de La Colombière, afirma: "Não basta dizer que o Escapulário é um sinal de salvação. Eu sustento que não há outro que faça tão certa nossa predestinação"



SANTOS E ESCAPULÁRIO:

https://www.youtube.com/watch?v=dVcu43W4aGE&t=263s

São Cláudio de La Colombière, afirma: "Não basta dizer que o Escapulário é um sinal de salvação. Eu sustento que não há outro que faça tão certa nossa predestinação"

Leão XI – quando se tornou papa, estavam tirando suas roupas de cardeal e queriam tirar o escapulário, ele não autorizou, deixai-me Maria, para que ela não me deixe
O Beato Papa Gregório X foi enterrado com seu escapulário e 600 anos depois, quando abriram sua tumba, o objeto mariano estava intacto. Algo semelhante aconteceu com Santo Afonso Maria de Ligório.
São João Bosco e São João Paulo II também o usavam e São Pedro Claver investia com o escapulário os que convertia e preparava.

São Simão  Stock
Foi ele quem teve a graça de receber o escapulário das mãos da Rainha do Céu. No mesmo dia, o encostou ao corpo de um moribundo impenitente e obteve o primeiro milagre do escapulário: a conversão do doente.

São João da Cruz
Ao frade que o assistia em sua última doença, o santo perguntou muitas vezes que dia da semana era. E explicou: “Pergunto porque me veio agora à memória quão grande benefício é o que faz Nossa Senhora aos religiosos de sua Ordem que portaram seu hábito e fizeram o que esse privilégio pede”. São João faleceu na alvorada de um sábado, 14 de dezembro de 1591.

Santa Teresa de Jesus
Com frequência se gloriava de portar o escapulário “como indigna carmelita”. E zelava para que suas religiosas não deixassem de dormir com ele posto. Dirigindo-se a elas, escrevia: “Só posso confiar na misericórdia do Senhor… e nos merecimentos de Seu Filho e da Virgem Maria Santíssima, Sua Mãe, cujo hábito indignamente trago e vós trazeis”.
Santo Afonso Maria de Ligório
Usava o escapulário e o recomendava insistentemente aos fiéis. O escapulário com o qual foi enterrado permaneceu incorrupto no sepulcro e é hoje venerado num relicário em Marianella, sua cidade natal.

São Boaventura
Ele dizia: “Desafoguem o peito diante da Virgem do Carmo os pecadores mais empedernidos: revistam-se do seu santo escapulário e ela os conduzirá ao porto da conversão. Honrem-na com o uso do escapulário e demais obrigações ou obséquios da confraria”.

Comentários